Luz visível, celular, poluição: inimigos da pele

Notícia ruim: além da radiação solar, esses outros inimigos agem em silêncio para causar rugas, manchas e envelhecimento precoce da pele. Até doces! Vamos nos proteger?

Por Wilson Weigl / Foto: Junior Franch / Modelo: João Lima

Todo mundo sabe o estrago que o sol causa na pele, certo? Quem tem a cabeça no lugar usa protetor solar, tanto na praia como no dia-a-dia. Notícia ruim: outros inimigos agem em silêncio para causar rugas, manchas e envelhecimento precoce. Fazem parte dessa gangue maligna: a parte da luz solar que nos faz enxergar os objetos, a claridade de luzes artificiais, computadores e celulares, poluição e… doces. Sim, até açúcares e carboidratos provocam reações orgânicas que danificam a pele.

Para falar sobre isso, consultei a dermatologista Ivana Prado, da Clínica Adriana Vilarinho, referência em dermatologia no Brasil (clique aqui para conhecer a clínica).

Todos esses vilões da pele incentivam a produção de radicais livres, moléculas presentes no ar e no próprio corpo que, em excesso, atacam células sadias, causando uma espécie de inflamação que danifica sua estrutura. No rosto, eles fazem a pele envelhecer antes do tempo, perder firmeza e elasticidade. Para combater os radicais livres, só usando protetores solares e cremes anti-idade com substâncias antioxidantes, que combatem a formação dos radicais livres e até revertem seus danos.

Veja como age cada um desses inimigos da pele e saiba como se proteger do seu ataque.

Poluição

A sujeira que adere ao rosto e deixa a cara preta no final do dia evidencia o malefício da poluição na pele. Mas o dano é mais profundo. “A fumaça deposita metais tóxicos e partículas que aceleram a produção dos radicais livres que oxidam as células”, explica Ivana Prado.

Os resíduos depositados sobre a barreira cutânea prejudicam sua oxigenação e hidratação e enfraquecem suas defesas naturais. “A reação inflamatória em nível celular destrói as fibras elásticas e de colágeno, o que causa envelhecimento da pele, flacidez e rugas”, diz a dermatologista.

Como se proteger da poluição

A regra número 1 é fazer uma boa faxina na pele, principalmente à noite antes de dormir. Lave o rosto com sabonete facial (em barra ou gel) e duas vezes por semana faça esfoliação (para limpeza mais profunda). Para hidratar, não adianta usar hidratantes simples, que só recuperam a umidade natural da pele. É preciso investir em produtos mais complexos, que combatem a oxidação causada pelos poluentes e formam um escudo protetor na pele. Eles contêm antioxidantes como vitaminas C ou E, resveratrol (da uva) e muitos mais.

 

Luz visível e computador

A luz visível é a parte dos raios solares captada pelos olhos e que permite enxergar os objetos. Está presente não apenas na luz do sol, mas também nas luzes artificiais (principalmente em ambientes muito iluminados, como lojas e escritórios) e na claridade emitida por computador, celular, tablet e TV.

Por ser uma radiação eletromagnética, a luz visível penetra fundo na pele e, segundo estudos, é tão perigosa quanto os raios UVA e UVB para acelerar o envelhecimento e, principalmente, causar manchas. Por isso, quem tem tendência a manchas tem que ficar ainda mais esperto em relação a esse tipo de luminosidade.

Como se proteger da luz visível

É preciso usar diariamente protetor solar no rosto, mas os filtros transparentes comuns, que contêm bloqueadores químicos, deixam essa luminosidade passar. Para a luz bater e voltar sem ser absorvida pela pele, o filtro deve ter bloqueadores físicos, como dióxido de titânio, óxido de ferro e zinco. O problema é que são grossos e deixam a cara branca. Mas a cosmética evolui rápido e já há produtos transparentes que oferecem essa proteção. “Alguns chegam a ser imperceptíveis quando aplicados e com toque seco”, explica Ivana Prado. “A industria farmacêutica adotou a nomenclatura de ‘mineral’ para informar que o protetor solar oferece barreira física”, completa a médica.

Outra alternativa é usar filtro solar com um pouco de cor, porque os pigmentos também barram a luz visível.  Homens desencanados já usam esses produtos, que também ajudam a disfarçar manchas e espinhas. Mas contra a luz visível continua valendo aquela defesa básica: guarda-sol, chapéu ou boné e camiseta.

Doces e carboidratos

A gente pensava que comer porcarias só engordava e dava espinhas na cara. É muito pior. Dieta ruim (ou seja, cheia de açúcares, carboidratos refinados e comidas prontas) também detona a pele.

Esses alimentos provocam glicação, uma reação do organismo que danifica as fibras da pele. Ela ocorre quando uma molécula de glicose vinda do doce ou carboidrato se junta à uma de proteína, localizada no colágeno e da elastina da pele, impedindo que as células façam sua função de dar firmeza à pele.

Como se proteger da glicação

Direto ao ponto: “Uma dieta balanceada é sinônimo de vida longa e pele firme”, resume Ivana. Além de preferir carnes magras, frutas, legumes, verduras e cereais, para proteger a pele deve-se comer alimentos ricos em substâncias antioxidantes (como uva e blueberry, que contêm resveratrol; laranja e outras frutas cítricas, que têm vitamina C; melão cantaloupe, que também é uma grande fonte de antioxidantes, segundo Ivana.

Também deve trocar as massas e pães feitos com farinha branca pelos integrais. Por causa das fibras, são processados mais lentamente pelo organismo e diminuem a velocidade com que os açúcares caem na corrente sanguínea, diminuindo o risco de glicação.

Ao escolher hidratantes, cremes anti-idade e limpadores faciais, prefira aqueles com antioxidantes que também têm ação antiglicante ou ativos que combatem a flacidez da pele (vitaminas, aminoácidos e enzima Q10). Você encontra essas informações nos rótulos dos produtos.

https://www.instagram.com/homemnoespelho/

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.