Novembro Azul: o mês de falar sobre a saúde masculina

Como acontece todos os anos, novembro é o mês da campanha mundial pela prevenção do câncer de próstata, que aqui no Brasil é encabeçada pelo Instituto Lado a Lado pela Vida.

Por Wilson Weigl

Novembro é o mês de se falar da saúde masculina. Mais especificamente, da prevenção do câncer de próstata, o segundo mais comum entre os homens, atrás apenas do câncer de pele. Aqui no Brasil o movimento Novembro Azul é encabeçado pelo Instituto Lado a Lado pela Vida, voltado a projetos de saúde.

Segundo o INCA (Instituto Nacional de Câncer) em 2018 serão registrados no Brasil mais de 68 mil novos casos de câncer de próstata e cerca de 13 mil mortes. A doença tem grandes chances de cura se diagnosticada precocemente, o que muitas vezes não acontece devido ao desconhecimento do risco e ao tabu que envolve o exame de toque retal.

O alerta: todo homem deve consultar periodicamente um urologista e aconselhar seus familiares e amigos, pois o câncer de próstata ocorre em todas as idades, apesar de que, geralmente, a maior parte das vítimas tem 40 anos ou mais. A partir dessa idade, deve-se fazer todos os anos o exame de sangue daproteína PSA (Antígeno Prostático Específico), cujo nível aumenta quando há indícios de câncer. Depois dos 50 anos, é preciso fazer também o exame de toque retal, que, ao contrário do que se ouve por aí, é indolor e dura poucos segundos. Com um rápido toque de um dedo, o médico consegue avaliar a consistência e o peso da próstata, descartando que ela esteja aumentada. Não compromete a macheza de ninguém e pode salvar sua vida.

A tradição do Movember já dura 15 anos: em novembro homens do mundo todo deixam crescer o bigode e se transformam em outdoors ambulantes da campanha, que aqui ganhou o nome de Novembro Azul. A campanha internacional de caridade foi lançada em 2003 pelo australiano Adam Garone,aproveitando as comemorações do Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata (17 de novembro).  O nome vem da união de mo, abreviatura de moustache, e november, O movimento na Austrália surgiu de uma brincadeira entre amigos, sem nenhuma vinculação com saúde. Hoje os organizadores se orgulham de ser “o maior movimento mundial pela saúde masculina”, que a cada ano arrecada mais de 200 milhões de dólares. No Brasil e no resto do mundo, empresas fazem doações para ONGs e entidades que lidam diretamente com saúde, como é o caso do Instituto Lado a Lado Pela Vida.

Este ano, a campanha do Instituto Lado a Lado pela Vida tem o tema “A vida não é um jogo”. Inspirada no futebol, a destaca o Cartão Azul, que, nas ações nas ruas, em eventos e partidas, serão mostrados aos homens para lembrá-los a necessidade de realizar o exame de PSA e o toque retal. “O objetivo é desmistificar o diagnóstico, já que milhares de homens deixam de fazer o exame de toque retal por causa do tabu que ainda persiste”, afirma Marlene Oliveira, presidente do LAL. O câncer de próstata identificado precocemente tem índice de cura de até 90%, completa.

Durante as ações, o Instituto Lado a Lado pela Vida oferecerá também aferição de pressão, peso, medida da circunferência abdominal e informações aos cidadãos.  Os exames devem ser solicitados por um médico,de preferência urologista, e, na eventualidade de um diagnóstico positivo, é recomendável que o homem procure um oncologista, para que possam decidir pelo melhor tratamento.

Para conhecer mais sobre o Instituto Lado a Lado Pela Vida, acesse o site aqui.

https://www.instagram.com/homemnoespelho/

1 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.