As regras básicas para ter sucesso na dieta

Você faz dieta, mas o ponteiro da balança não desce? Talvez seja você mesmo o sabotador do seu plano de emagrecimento. Veja 7 regras para a perda de peso bem sucedida.

Por Wilson Weigl

Tem algo mais frustrante do que seguir uma dieta e constatar que a balança não corresponde às nossas expectativas? Pois você mesmo pode ser o grande sabotador do seu plano de perder peso. Principalmente se você faz uma dieta sem orientação de um médico ou nutricionista, adota uma dieta da moda que não se encaixa em seu estilo de vida ou acha que basta fechar a boca para emagrecer.

Veja 7 regras que a gente costuma desrespeitar e, daí, bota a perder qualquer plano de perda de peso. Algumas dessas regras são fáceis de seguir; outras exigem um pouco mais de atenção da sua parte. Mas acredite: o resultado vai aparecer em números toda vez que você subir na balança.

Regra 1: Escolha uma dieta viável

Dieta que não se encaixa em sua vida tende ao fracasso.

Quando decidir seguir uma dieta, antes pergunte-se se ela é viável e quanto tempo é capaz de segui-la à risca. Qualquer dieta que não se encaixe no seu estilo de vida, ou que de antemão você desconfie ser difícil de seguir em longo prazo, vai estar fadada ao fracasso. Por exemplo, quem adora massas talvez não aguente cortá-las totalmente.

Hoje existem mil opções de dietas. Não é difícil encontrar uma que se encaixe no seu ritmo de vida. Se mesmo assim tiver dificuldades, vale a pena investir uma grana e consultar um nutricionista.

Regra 2: Não pule refeições

Faça refeições menores, várias vezes ao dia.

Deixar de fazer uma refeição ou ficar muito tempo sem comer são as piores táticas para perder peso. Reduzir a ingestão de calorias, que fornecem energia para o corpo, colocam o organismo num estado de privação que o obriga a economizar a “bagagem” de calorias de que dispõe, em vez de queimá-las.

Pular uma refeição deixa você com ainda mais fome na refeição seguinte. Com certeza você vai sofrer para se reprimir e não atacar um pratão.

Se você treina para ganhar músculos, pior ainda: sem as calorias fornecidas pelas proteínas, que são os “tijolos” da construção muscular, o corpo “canibaliza” os músculos em busca de combustível. Isso compromete o crescimento muscular que você busca na musculação.

Faça 6 pequenas refeições ao longo do dia: café da manhã, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar e lanche noturno. Sempre com pequenas porções. E jamais pule refeições.

Regra 3: Não coma rápido demais

Dê tempo para seu cérebro entender que você está saciado.

Se a gente engole as refeições a toda velocidade, acaba comendo ainda mais. O cérebro não tem tempo de processar a mensagem enviada pelo estômago de que está saciado. Sem esse estado de saciedade ser gerido pelo sistema neurológico, parece que a fome não acaba.

Reduza a marcha. Pouse o garfo de vez em quando no prato entre as garfadas, tome um gole de água depois de mastigar e engolir o bocado.

Prolongar a refeição ajuda você a escutar as informações que seu corpo envia quando está de boa.

Regra 4: Não corte carboidratos

Aprenda a diferença entre os carboidratos “bons” e “ruins.

Os carboidratos são vistos como “vilões” das dietas, mas na verdade nutrientes fundamentais tanto para ter energia quanto para ganhar músculo. O “X” da questão é consumir os carboidratos certos.

Os carboidratos “ruins” são pães e massas feitos de farinha branca, biscoitos e doces (carboidratos simples), que dão um pico de energia rápida, que dura pouco. Os carboidratos “bons” são os complexos, presentes nos pães e massas integrais, na batata doce e nos grãos. Eles são absorvidos lentamente pelo organismo e fornecem energia que é queimada devagar, não ficando estocada no corpo como gordura. Também são ricos em fibras, que dão mais sensação de saciedade e ajudam a controlar os níveis de insulina e glicose no sangue.

Regra 5: Não se prive dos pratos preferidos

Coma tudo o que quer uma vez por semana (só uma vez).

Na visão mais moderna das dietas, os especialistas defendem a instituição do cheat day, o dia da semana (só um dia) em que você “engana” ou “trai” seu plano alimentar e come tudo (ou quase tudo) que tem vontade. A teoria é que esse dia de “jaca” não é suficiente para comprometer sua dieta saudável, desde que você a leve muito a sério nos outros dias da semana.

Os benefícios dessa “escapada” são psicológicos, porque qualquer dieta severa e proibitiva, além de influir negativamente no humor e na disposição e deixa quase todo mundo à mercê do craving, aquela vontade louca e insuportável de se jogar num bolo de chocolate ou num acarajé. O cheat day funciona como um fator de equilíbrio mental, pela sensação de liberdade de comer o que a gente gosta.

Regra 6: Cozinhe sua própria comida

Coma fora menos vezes e controle melhor sua alimentação.

Estudos sobre dietas mostram que ao comer fora consumimos 500 calorias a mais do que quando cozinhamos em casa. As porções dos restaurantes podem ser muito grandes e acabamos comendo mais do que pretendemos.

Outro ponto é que sabe-se lá quais ingredientes entram nas receitas dos pratos prontos. Muitos podem esconder verdadeiras bombas calóricas. Sabia que só uma colher de sopa de azeite de oliva tem mais de 80 calorias?

Homens solteiros tendem a comer mais fora do que dentro de casa. Mas que tal começar a encarar mais as panelas e preparar lanches para levar ao trabalho ou comer entre as refeições?

Regra 7: Curta a comida de dieta

Sinta satisfação com pratos mais simples e saudáveis.

Em vez de sofrer por ter de optar por alimentos como legumes e verduras em lugar de massas e doces, sinta satisfação com a comida. Focar o pensamento nos benefícios da refeição (como sua qualidade nutricional) e a sensação de recompensa por alcançar sua meta de perder peso alivia o tormento de ter que abrir mão dos pratos que você gosta.

Além disso, comida de dieta não precisa ser insossa, sem tempero. Comece a pesquisar receitas de pratos saudáveis e pouco calóricos e vai se surpreender com as delícias que vai encontrar pela frente.

https://www.instagram.com/homemnoespelho/

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.