Como se livrar de qualquer tipo de espinha (sem espremer)

Espinhas que aparecem do nada, de pontas amarelas, de mais de um dia ou em grandes quantidades. Dermatologista indica como tratar acne de acordo com o grau e o tempo das espinhas.

Por Wilson Weigl

Como se livrar de uma espinha que está começando a despontar, formando um ponto vermelho? E quando ela tem a ponta amarela? E quando são várias espinhas ao mesmo tempo? Existem táticas para dar cabo das espinhas de acordo com seu grau e tempo.

Pois uma espinha que aparece isolada é bem mais simples de combater do que uma manifestação de acne. O dermatologista Jardis Volpe, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e diretor da Clínica Volpe, de São Paulo, explica como resolver o problema de  uma espinha pontual e como tratar casos mais severos de acne.

Adiantando: cutucar ou espremer espinhas nunca é uma boa ideia, pois há o risco de ela inflamar e ficar ainda mais feia, a agressão à pele pode resultar em manchas e cicatrizes na pele, que daí só podem ser atenuadas em procedimentos caros feitos no dermatologista.

Veja como atenuar as espinhas em casa, de acordo com a gravidade do problema.

Espinha que acabou de aparecer

Uma espinha ou outra que aparecem do nada de vez em quando não significam problema de acne: são só inflamações que podem ser causada por comidas gordurosas ou excesso de oleosidade da pele, entre outros fatores. Cutucá-la ou espremê-la nunca é uma boa ideia, pois há o risco de ela inflamar e ficar ainda mais feia, a agressão à pele pode resultar em manchas e cicatrizes na pele, que só podem ser removidas por laser, por exemplo.

Para atenuar uma espinha de última hora, interna (que ainda não despontou) ou vermelha (sem cor amarelada), uma tática de emergência é aplicar gelo embrulhado em tecido ou bolsas geladas por alguns minutos. “O gelo é anti-inflamatório e faz desinchar a espinha rapidamente”, diz Jardis Volpe. Em seguida pode-se aplicar um creme com ácido salicílico ou peróxido de benzoíla, que têm ação secativa”, explica.

Evite soluções caseiras, como colírios: “O colírio contém agentes vasoconstritores, que fecham os vasos, causando contração e melhorando a vermelhidão de uma espinha isolada. Não costumo recomendar porque esses agentes causam um efeito rebote grande, e a vermelhidão pode voltar mais forte e o efeito é temporário”, alerta.

Espinha com ponta amarelada

O pontinho amarelo é uma pústula, um acúmulo de pus, que deve ser retirado para que a espinha seque. Mas espremer não é indicado. “O ideal é fazer compressas com gaze e chá verde morno na lesão por alguns minutos, 3 vezes ao dia, para facilitar com que a própria espinha drene naturalmente mais rápido”, sugere Jardis Volpe.

Espinha de mais de um dia

Para tratar as espinhas mais resistentes, o dermatologista recomenda esfoliar o rosto com um produto que contenha partículas esfoliantes (grãozinhos minúsculos que fazem uma ligeira abrasão na camada superficial da pele).

Em seguida, aplicar um tônico adstringente com ativos secativos e bactericidas e, para finalizar, creme cicatrizante. “Esses cuidados ajudam a reduzir a inflamação. E antes de dormir, ainda pode-se usar um secativo com ácido salicílico ou peróxido de benzoíla”, recomenda Jardis.

O médico indica também uma receita caseira: dissolver um comprimido de aspirina em um pouco de água até formar uma pasta e aplicar com um cotonete em cima da lesão de acne, deixando agir durante a noite. “O ácido acetilsalicílico tem ação antiinflamatória”, explica. Pela manhã, deve-se lavar o rosto com sabonete antiacne e aplicar protetor solar não oleoso antes de sair de casa.

Espinhas recorrentes

A acne afeta quase 80% dos adolescentes, por causa das mudanças hormonais, e costuma diminuir e desaparecer com o passar do tempo. Estresse e má alimentação também contribuem para o surgimento de espinhas. Mas se o problema persiste até a idade adulta não pode ser deixada de lado como se não fosse nada.

Quem sempre tem espinhas precisa caprichar nos cuidados diários de limpeza e hidratação da pele do rosto  e, caso o problema não seja controlado, recorrer ao dermatologista para tratamento, com laser, uso de ácidos ou antibióticos.

“Em casa, deve-se lavar o rosto com sabonetes que contenham ácidos glícólico ou salicílico, tonificar  a pele com um produto de ação adstringente, com ativos bactericidas, e usar cremes que tratam as espinhas – ativos como Acneol SR (ação sebo-reguladora, anti-inflamatória e cicatrizante), peróxido de benzoíla, ácido salicílico, por exemplo, são excelentes opções. Mas por se tratarem de ácidos, vale a pena consultar antes um dermatologista”, afirma Jardis  Volpe.

Não se deve mesmo espremer as espinhas, pois piora a inflamação, aumenta o avermelhamento e dificulta a cicatrização, diz o médico.

Espinhas em grandes quantidades

No caso da acne ser grave (a chamada severa), com múltiplas lesões persistentes, é preciso buscar tratamento num dermatologista, com uso de medicamentos via oral com antibióticos, corticoides e anti-inflamatórios, para controlar a infecção e inflamação. Quanto mais cedo se começa o tratamento, melhor.

https://www.instagram.com/homemnoespelho/

 

2 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.