Por que não se deve usar no rosto produtos para corpo

Protetor solar, sabonete e hidratante de corpo são espessos e engordurados e podem provocar uma verdadeira desordem na pele do rosto, como aumentar a oleosidade e piorar a acne.

Por Wilson Weigl

Ainda tem homem que não está nem aí: passa protetor solar corporal no rosto, usa o mesmo sabonete para lavar o rosto e o corpo. Mancadas! Os cosméticos faciais e corporais têm fórmulas especiais para sua indicação de uso, ingredientes e texturas completamente diferentes. Os produtos para corpo são mais espessos, cremosos e engordurados e, usados no rosto, podem provocar uma verdadeira desordem na pele, como aumentar a oleosidade e piorar a acne.

A pele é o maior órgão humano e se estende dos pés à cabeça, mas não é igual em todos os lugares. No rosto e no corpo, ela tem diferentes características de oleosidade, espessura, sensibilidade e nível de acidez. Por isso, produto corporal só deve ser passado no corpo. E facial só no rosto. Simples assim.

Alguns especialistas condenam até os produtos 2-em-1, como shampoos indicados para lavar cabelo e corpo, mas essa já é outra história.

A dermatologista Valéria Marcondes, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia, explica por que nunca se deve passar produto corporal no rosto e descreve os riscos que essa prática pode trazer.

Protetor solar corporal no rosto

O filtro solar para corpo é mais grosso e cremoso do que o facial e seu uso no rosto vai deixar a pele mais oleosa, brilhante e melada. A formulação das substâncias que garantem a espalhabilidade também são diferentes nos dois produtos.

Os bons protetores corporais contêm ativos antioxidantes que ajudam também a prevenir o fotoenvelhecimento, mas essa necessidade é muito maior nos filtros faciais. A pele do rosto, além de mais sensível que a do corpo, está constantemente exposta não apenas aos perigosos raios ultravioleta e infravermelhos do sol como também à luz visível — parte da radiação solar que permite enxergar os objetos e está presente também nas luzes artificiais e do computador e celular.

E não só: os filtros faciais de qualidade têm ingredientes com ação antioxidante (que neutralizam a oxidação das células causada pelos radicais livres) e combatem o fotoenvelhecimento causado pelo sol.

“Quem tem pele mais seca deve investir em proteção solar facial hidratante, enquanto a pele oleosa precisa que o produto tenha efeito mate (que tira o brilho), seja livre de óleo (oil-free) e controle a oleosidade”, diz Valéria. Esse “combo” a gente só encontra no filtro solar exclusivamente facial.

Sabonete corporal no rosto

Uma enorme mancada. O sabonete de corpo tem pH incompatível com a pele do rosto. A sigla é de Potencial Hidrogeniônico, o nível ideal de acidez da pele, que deve ser mantido para fortalecer suas defesas. Sabonete corporal também pode conter substâncias detergentes agressivas para a pele facial (como aquelas que produzem espuma) e trazer problemas como ressecamento ou aumento de oleosidade.

“Em peles oleosas, como é a da maior parte dos homens, há o risco de primeiramente ela ficar ressecada e, em seguida, exageradamente oleosa. Isso é o que se chama de efeito rebote: uma produção exagerada de oleosidade, porque o organismo entende a limpeza como uma agressão. Isso pode deixar a pele com excesso de brilho e piorar a acne”, explica a médica.

Hidratante corporal no rosto

Os homens não têm muito o hábito de hidratar o corpo (mas deveriam). O erro, aqui, é usar o mesmo hidratante do corpo na face. Geralmente o produto corporal é mais espesso e cremoso, já que essa pele tem menos glândulas sebáceas e deve ser hidratada com produtos mais “pesados”, segundo a dermatologista.

“Como a pele do rosto é mais sensível, o hidratante facial de uso diário deve ajudar a recuperar a umidade natural retirada pela limpeza com água e sabonete (mesmo facial). O ideal é que tenha também princípios ativos que acalmem a pele (especialmente para usar depois do barbear), controlem a produção de oleosidade e combatam o antienvelhecimento”, diz Valéria Marcondes.

“Hoje muitos bons protetores solares são multifuncionais: defendem a pele do rosto da radiação solar, hidratam, controlam a produção de sebo e têm ingredientes antioxidantes, que reparam as células”, continua a médica. “Podem ser usados de manhã, para proteger a pele do sol e mantâ-la hidratada”

No contorno dos olhos, onde a pele é bem fina e sensível, os cosméticos devem ser especialmente formulados para essa área. Para hidratar em volta dos olhos, combater rugas e olheiras, não é indicado aplicar nem mesmo o hidratante facial. Só produtos para olhos.

Outra recomendação da médica: “Após passar o hidratante no corpo, lave as mãos antes de aplicar o hidratante facial no rosto”, diz.

Esfoliante do corpo na face

O esfoliante faz uma limpeza profunda na pele, retirando sujeiras e ceélulas mortas da camada superficial pela ação de micropartículas. A esfoliação renova as células e, no caso do rosto, deixa o barbear mais confortável e ajuda a prevenir cravos, espinhas e pelos encravados. Só que o tamanho dessas partículas é diferente nos produtos para rosto e corpo.

Um bom esfoliante facial deve ter partículas minúsculas, uniformes e, de preferência, de origem natural, como sementes trituradas. “Como sua ação é abrasiva, deve ter a capacidade de remover as impurezas do rosto sem agredir a pele, equilibrando a limpeza com ingredientes calmantes anti-inflamatórios, hidratantes e antissépticos”, afirma a dermatologista.

Os esfoliantes corporais, por outro lado, costumam ter partículas bem maiores em relação às utilizadas para o rosto, incorporadas em sabonetes cremosos para uso no banho, segundo a médica. “As partículas maiores podem ser agressivas para o rosto, deixando a pele vermelha, machucada e sensibilizada, causando ressecamento e, também, efeito rebote, o aumento da produção de oleosidade”, alerta.

https://www.instagram.com/homemnoespelho/

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.